Postcards From Bodyland




O meu corpo é a minha Terra.
Poema sinuoso de gestos e instantes com que falo.
Casa onde moro
que habita, suscita e acende o prazer.
Alfabeto do amor, da idade e dos sentidos.
Pétala e pele. Chama e abraço. Arma e astro.
Carne e grito incontornável da dor,
Coração e pegada de segredo e silêncio,
Paisagem onde me procuro, me vejo e encontro.
 Dança alada de mãos dadas a ti.
Fronteira e nascente.
Amanhecer e poente.
My body is my land.
Em tantas línguas, lugar universal.


POSTCARDS FROM BODYLAND são postais que (ar)riscam e desenham os sentidos de lugares endereçados no nosso corpo. É viajar por dentro. Porque o corpo é um território, um continente de profusas e tão belas paisagens, palpitante e musical. E como às vezes, quase sempre, as palavras não chegam, convidamos-vos a escutar o ambiente sonoro com que é interpretado cada espaço do corpo. E a dançar. A pensar e a sentir em movimento a viagem que fazemos ao nosso próprio corpo e aos corpos que interpelam o nosso. Corpo-mala de viagem. Corpo-saudade. Corpo-memória. Corpo-despedida. Corpo-chegada. Vistam o corpo de barco, bicicleta, pára-quedas. Ou vão a pé. De olhos abertos ou fechados, vamos. Até aonde quisermos ir.
Encontramo-nos atmosférica e emocionalmente com tantos outros, peregrinos sem coordenadas, fazendo acontecer convergências, coincidências, diferenças, intencionalidades, imprevistos.
Não há uma ordem óbvia, esta não é uma viagem cerebralmente planeada. Nenhum roteiro turístico. Os lugares vão apelando por nós, às vezes aparentemente fora de sítio. Os caminhos vão surgindo povoados de pessoas e acontecimentos, escolhidos pela sua proximidade ou lonjura, procura ou fuga.
Cada lugar do corpo é um espaço de múltiplos olhares e leituras, pelo que teremos muito gosto em receber a vossa viagem e o vosso postal. Enviem-nos as vossas imagens, textos e música ou lista de músicas que nós publicamos.
 

Blogger news

Blogroll